23 janeiro, 2011

Copos

Conjugaram-se várias coisas felizes: Um jantar de aniversário (bem regado) recheado de amigos num nepalês simpático e com umas toalhas de mesa de uma gramagem bastante ousada (para toalha de papel de restaurante)... e assim nasceu este desenho, que é de alguma forma a única maneira de me meter "nos copos"!

1 comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

Gostei dos dois copos (chávenas).
Há muitos (talvez mesmo muitos) anos, aqui no meu Porto, mais propriamente no "Majestic", grupos de "senhoras" ou seriam matronas (só pela idade), reuniam-se para o chá das cinco.
Este chá começava por volta das 14,30h e prolongava-se até a conversa ser toda desenrolada do novelo que o "vinho verde" tinha iniciado.
Não me foi contado. Foi testemunhado no "local do crime".
Olhos esbugalhados, lábios lambuzados de batom vermelhucho, dedos carregados de grandes cachuchos e talvez maridos na sorna eterna da quinta das cruzes.
Andei por aí.
Fui trazido por uma imagem (que não roubei).
Até 'assisti' a uma mamografia, coisa que quando vou com a minha mulher, nunca tinha 'assistido'.
Mas o gel que é colocado, não é para a navegação.
Trata-se tão só do combustível para a sonda ou transdutor que entra em contacto com a pele.
A gasolina e o gasóleo são desaconselhados. (rsss,rsss,rsss)
Tinha que terminar assim. Está-me na massa do sangue.
Desculpe qualquer coisita e
INTÉ!!!