28 fevereiro, 2016

Workshop "Ilustrar e Editar sem Fronteiras"

Na semana passada tive a felicidade de ter descoberto um workshop em Lisboa com uma das minhas musas e tive a sorte suprema de me conseguir inscrever a tempo. Tenho a agradecer do fundo do coração à minha amiga Catarina França por me ter enviado o convite via facebook... as redes sociais não têm só coisas más...
Foram três dias de workshop (10 horas) com Elena Odriozola (ilustradora) e Alejandro Garcia Schnetzer (editor) na Fundação José Saramago (Casa dos Bicos) e o tema deste workshop era "Ilustrar e Editar sem Fronteiras". A minha felicidade exponenciou logo quando me apercebi que iríamos tratar de temas botânicos!
Começámos no dia 24 no Jardim Botânico de Lisboa, para sabermos nos apresentarmos e saber qual ía ser o programa. Estava um dia mesmo infeliz, com chuva e frio, mas a minha costela de ilustradora cientifica levou isso como um desafio! O texto sugerido - de Clarice Lispector - falava de flores de uma forma bastante poética e aquilo que nos foi pedido foi que procurássemos flores e as desenhássemos com atenção às suas partes e estruturas. Nesta altura não havia muita flor a desabrochar, mas fiz uns esboços debaixo do guarda chuva o melhor que pude. Não achei que tivessem ficado nada de especial, mas pelo menos apanhei uma Magnólia bem carregada.
No dia seguinte, já na Fundação José Saramago, foi lançado o exercício propriamente dito e explicada a técnica: Iríamos fazer um stencil e trabalhar com tintas e dedos! 
Aparentemente esta é uma técnica com a qual a Elena trabalha bastante actualmente. Na minha ignorância, eu tinha ficado presa ao trabalho dela de há uns bons 10 anos atrás, quando trabalhava com aguarela e outras tintas transparentes.

Assim, pediram-nos que escolhêssemos uma planta e a dividíssemos em partes (caules, pauzinhos, folhas, pétalas, etc) e essas partes seriam feitas em stencil de modo a podermos combinar os elementos e "construir" a nossa planta.
Escolhi a Magnólia e fiz o esboço de uma composição simples, com uns ramos e três flores.
Em baixo podem ver o meu stencil de acetato e em cima um dos resultados!
As tintas eram acrílicas e usávamos o dedo para "estampar" cada elemento, à vez, na folha. A ideia era usar o dedo tipo carimbo e não arrastando... Esta técnica permite fazer coisas brutais, mas diga-se em abono da verdade que pode descambar para a badalhoqueira total! Rapidamente eu fiquei com 3 dedos cheios de tinta e tinha de ter imenso cuidado para não deixar dedadas em todo o lado! 
No terceiro e ultimo dia introduziram-nos ao exercício final: A ideia era usar a nossa planta para contar uma pequena história em pelo menos 6 pranchas. Deveríamos usar os elementos que tínhamos recortado, mas podíamos acrescentar uma ou outra coisa - mas sem fazer muita coisa de propósito.
Era também interessante se a história pudesse ser circular...

Eu pensei em fazer algo deste género: O meu raminho começava com flores pequenas, que iam crescendo ao longo de toda a história. Aparecia um passarinho, que piava e "acordava" as flores, que saiam todas a voar. No final ficavam outra vez uns botões e a história recomeçava :)

Consegui terminar o exercício a tempo e fiquei bastante feliz com o resultado! A Elena e o Alejandro também me elogiaram o trabalho, o que me deixou hiper-mega feliz!


No ultimo dia houve também uma conferência à qual infelizmente tive de faltar, mas que ficou disponível aqui no youtube!
A Laura portou-se bem durante estes dois dias, tendo dado uns saltinhos de vez em quando, mas sem problemas de maior! No ultimo dia estava bem cansada, mas valeu cada minuto :)

19 janeiro, 2016

Aquelas coisas sobre as quais tinhas uma ideia...

Aquelas coisas sobre as quais tinhas uma ideia, mas que não sabias que iam ser assim:

1 - olfato apurado - Nos primeiros meses foi a loucura! Parecia que estava para me vir o período: Tudo cheirava horrivelmente mal. Não admira que haja mulheres que ficam enjoadas...
Ainda hoje fico incomodada com o cheiro a tabaco das pessoas que largam o cigarro e a seguir se sentam ao meu lado nos autocarros. YUCK!

2 - mamilos escuros - Ok, eu sabia que eles escureciam, mas ASSIM TANTO? Credo... e alguma vez vão voltar ao normal? Será que os bebés são pitosgas de todo quando nascem?

3 - pança - Bom, quando uma miúda engravida tem de se acostumar à ideia que vai ter uma barriga, certo? É esquisito, mas tem a sua piada, e não aparece dum dia para o outro... agora o umbigo começar a ficar para fora é realmente inquietante! O meu ainda faz uma covinha, felizmente! Mas já não deve demorar muito até ficar liso.
Ah e por enquanto não vejo estrias! Mas como a minha barriga não é descomunal, deve ser por isso... é fazer figas.

4 - bexiga - A minha bexiga e eu estamos numa fase de calmaria aparente. Nos primeiros três meses de gravidez a desgraçada parecia ter entrado em pânico. Eu acho que o meu útero lhe disse "Olha amiga, isto vai mudar aqui dentro ok?" e ela passou-se  e disse "O quê?? EU NÃO AGUENTO!" de modo que eu ía à casa de banho a toda a hora, e não feliz com isso ainda me fazia levantar a meio da noite para fazer uns miseráveis chichis... e nesta altura eu inda nem tinha barriga, caramba!
Os 4º, 5º e 6º meses foram ok e agora acho que vamos voltar a ter uma conversa... mas não me posso queixar, muito bem está ela!

5 - penugem - De há uns tempos para cá que reparei que tenho uma certa penugem na cara. Não me lembro se já era assim ou não, mas perto do maxilar e da orelha vejo um montinho de pelos claros que nunca tinha reparado. Estou a virar bicho?

18 janeiro, 2016

Chutos e pontapés

Aos 4 meses de gravidez, mais coisa menos coisa, acho que comecei a sentir os primeiros movimentos do bebé. Era diferente do que eu esperava, menos subtil e mais "bóing", assim mais ou menos como se tivesse uma bola cá dentro e de vez em quando ela ficasse oblonga! 
Nestas alturas a barriga dava um saltinho, como se fosse um pudim flan.

Como o bebé parecia ter bastante espaço à volta, sentia estes chutos em dois sítios, como se o impulso das pernas fizesse a cabeça ir para trás, e assim eu sentia um chuto na direcção do exterior e outro na direcção das minhas tripas. Bizarro, no mínimo...



Agora que o espaço começa a apertar mais, por vezes sinto que algo se move do centro das minhas entranhas até à superfície, devagarinho, e fica espetado algures na minha barriga. Nestas alturas tenho uma coisa dura num determinado sitio, e à volta é tudo mais suave. Continuo sem conseguir perceber o que é que me chuta (uma perna? uma cabeça? um mini braço?) mas acho que deve ser normal...

Entretanto também consegui chegar a estas belas conclusões:
- Deitada de barriga para cima é a maneira mais eficaz de alguém que está cá fora conseguir sentir os movimentos da criatura com a mão.
- A miúda esperneia em todas as posições, de resto... quer esteja de barriga para cima ou de lado (qualquer dos lados). Quando estou de pé e sentada também!
- Pergunto-me quando é que vou voltar a dormir de barriga para baixo :(
- Comer favas com chouriço à noite é garantia de uma boas horas de tango entre o bebé e as favas...
- A minha barriga é torta, tenho mais volume à direita do que à esquerda. É estranho mas talvez o meu útero seja torto? E também tenho ideia que a miúda está sempre mais desse lado.


17 janeiro, 2016

6 meses de barriga

O tempo voa!
Tenho estado ausente do blog em parte por preguiça, em parte porque estou a trabalhar num projecto que me ocupa a full-time com a produtora Sardinha em Lata.
Entretanto cá por dentro as coisas continuam a correr bem (so far so good, pelo menos) - a criaturinha continua a revelar-se uma menina, tem todos os membros e apêndices que se esperam de uma criatura destas e tem vigor!

Tenho tido sorte em várias frentes e uma delas é no peso: Talvez porque estava demasiado magrinha quando engravidei, neste momento tenho só cerca de 6 kg a mais e mal passo dos 60 kg... como o médico não vê mal nenhum nisso, fico feliz de não me sentir pesada. Entretanto já soube que nos próximos 3 meses devo ganhar mais peso, por isso venha ele!

12 novembro, 2015

Três coisas que não faltam a este bebé, diariamente.

#1 - Drunfos
De há uns bons meses para cá que todos os dias tomo dois comprimidos. Eu sei que o ácido fólico é importante para a formação da criança, mas será que já não se fazem bebés sem drunfos? 

#1 - Pills 
Since at least July that I have to take 2 pills everyday. I know that folic acid is important in a baby's development, but can we still make babies pill-free?
#2 - Ronrom de gata
Não há uma noite que a Dona Patanisca não peça colo (então agora que começam as noites mais frescas...)
Eu evito que ela me esprema muito a barriga, porque é uma coisa que incomoda, mas quando se deita e faz ronrom encostada à barriga (e não em cima) não me importo. Quem sabe se o bebé consegue ouvir?

#2 - Cats purr
Now that the nights are becoming colder, my cat Patanisca begs for a nap in my legs every evening. I don't like it when she kneads my belly, but when she lays down and purrs against it, it's ok. I wonder if the baby can hear it?
#3 Informação avulsa
Eu quero ter uma criança informada. Isso inclui apresentar-lhe as comidas novas - que ainda não tinha comido desde que engravidei - e outras coisas.

#3 - Spare information
I want to have an informed child. This includes presenting every new food I haven't had since before I was pregnant (in the drawing above she is saying "Baby, these are broad beans") and some other stuff.

30 outubro, 2015

A bola/ the ball

Estar grávida é estranho.
Quando descobri que estava grávida fiquei feliz! Já estava a tentar há algum (pouco) tempo e foi uma novidade gira surpreendente. Fotografei os dois testes de gravidez que fiz e marquei consulta na médica! Vou ser mãe, c'oa breca!

Its weird to be pregnant.
When I found out I was pregnant, it made me very happy! I was already trying to and ir ame as a nice surprise. I took photos of my two pregnancy tests and booked an appointement to see my doctor. I'm gonna be a mom!
Como sou uma grávida sem grandes sintomas, as primeiras semanas/meses foram um tédio... não sentia nada de especial a não ser vontade de fazer chichi.
- "Então mas não se passa nada?" era a minha pergunta mais frequente. Quando fiz a primeira ecografia às 8 semanas, aquilo que vi não se parecia nada com as imagens que eu via na net: Uma minhoca de 14 mm sem grandes traços identificativos, com umas micro protuberâncias que podiam ser perninhas (se eu ao menos percebesse onde estava a cabeça!) e que nem sequer tinha o feitio de "caju" que eu esperava...
Lição numero um - Grávida tem de ter paciência.

Entretanto só para chatear - e porque eu sou uma pessoa com delay - tenho tido alguns enjoos leves em pleno segundo trimestre, coisa que já me devia ter dado há uns bons tempos atrás. Go figure.

I'm a very symptomless mom-to-be, so the first weeks/months were pretty boring... I couldn't feel much more than a will to pee.
- "So, nothing's happening?" was my biggest question. When I had my first 8 week ecography, what I saww looked nothing like what I was expecting from the internet pictures: A tiny 14mm worm, with no identifiable features and some lumps that could be arms or legs (I wish I new where the head was!). It didn't even looked like the cashew shape I was expecting...
Lesson number 1 - Pregnant women must be patient.

In the meanwhile, and because I have some sort of delay, I'm finally having some of the typical sickness that I should have (?) had some time ago. Go figure.
Entretanto a barriga já cresceu um nico e às 15 semanas continuo sem grandes sintomas. Basicamente sinto uma bola cá dentro. Assim mais ou menos como se tivesse uma laranja grande no meio dos intestinos. E quentinha.

Now my belly is starting to show a little and with 15 weeks I don't feel much of anything. 
I basically feel like I have a ball inside, like a big orange in my guts. And a hot one.
À noite a bola às vezes dá a sensação que se mexe, mas é uma coisa muito vaga. E acabaram-se as noites de barriga para baixo... Agora só estou à espera se saber se a bola é "melão" ou "meloa" e de sentir algo mais especifico. É aguardar...

Sometimes at night my "ball" feels like its moving, but its very weird and subtle. And sleeping on my belly is gonna be over for some time... For now I'm just waiting to know if its a he or a she and to feel something more specific. Let's wait...

21 outubro, 2015

E ela nunca mais andou sozinha...

De há três meses para cá que nunca mais andei sozinha. 
A criatura em questão mede cerca de 15 cm, ainda não se sabe se é ele ou ela e deverá estar cá fora cerca de um mês depois do inicio da primavera!
(Sim a ilustradora vai-se multiplicar!)

Its been more or less three months since I found out that I'm never alone.
The one who's always with me is about 15 cm long, I can't tell if is a he or a she and should be here to meet us around spring time!