27 outubro, 2008

...


O pequeno felino bicolor que viveu comigo durante os últimos anos caiu hoje do terraço e morreu.
Foi a primeira gata que mais tempo viveu connosco (tirando uma tigresa ainda na minha infância da qual me lembro relativamente pouco).
A Chimfrim era completamente avariada da cabeça.. corria na horizontal pelas costas dos sofás e por isso dizíamos que fazia da nossa sala um autêntico "poço da morte". Dava grandes tareias ao meu outro gato, Félix (bastante maior que ela), batia os dentes aos passarinhos (tanto que chegou a apanhar um) e enquanto víamos televisão fazia-nos grandes cenas de amor-felino-ronronante... Teve 5 ninhadas connosco, uma das quais nasceu na minha cama, enquanto eu dormia.
Era um bicho contrastado, por dentro e por fora.

Há algum tempo fiz este desenho que nunca cheguei a postar porque queria ainda desenvolver melhor a ideia (cliquem na imagem que é capaz de aumentar).
Ela era uma gata voadora. Infelizmente.

Vou-lhe sentir a falta.

The little black and white feline that have shared the last decade with me fell from the terrace today and died.
She was the first female cat who lived with us for such a long time. Chimfrim (meaning something noisy) was totally nuts... she would run in the horizontal in our sofas backs, beat and bite my other cat, Felix (and he is sure bigger than her), she loved little birds (and even caugth one once) and always made big feline-purring-love scenes while we (tried) to watch tv... She was a mother for 5 times, one of them having delievered the babies in my own bed, while I was asleep..
She was a cat of contrast, from the inside and the outside.
Some time ago I made the drawing above but never posted it because I wanted to make it better. It says "My cat should have been a swallow in a previous life.. even the colors match!"
It was a flying cat. Unfortunatelly.
I will miss her.

16 comentários:

Raquel Oliveira disse...

Lamento imenso que tenhas perdido a tua gata... acho que todos nós iremos sentir a falta dela...

David disse...

Neste momento a minha gata (também bicolor - preta e branca) está ao meu colo deixando-me uma só mão livre para escrever e que ela segue incansavelmente com os olhos. Os gatos são animais muito especiais e lamento a sua perda.

Aproveito para a felicitar pelas excelentes ilustrações, esculturas e posts. Sempre invejei pessoas que sabem desenhar bem.

Pat disse...

Ana... abraço amigo!

gigi disse...

Oh! Lamento muito... Nem imagino... Força.

Anónimo disse...

esta é seguramente a melhor homenagem aquela taralhoca que não resistiu a um voador qualquer. Sorte dela ter donos que tanto gostavam dela bj

Ana Rute Cavaco disse...

beijinhos, de alguém que viveu semelhante momento.

Avozinha disse...

Cada gato que passa na nossa vida deixa lá sempre a sua marca. Chinfrim for ever!

guiga disse...

Que pena... Mas, pensei que os gatos soubessem aterrar... Só se foi de uma grande altura... :(
Lamento...
*.*

Ana Oliveira disse...

Obrigada todos.

Guiga: foi de um 5º andar... acho que prefiro que não sobrevivesse porque ia ficar muito estragadita, tadinha...

Rute disse...

A tua gatinha deixou marcas
de felicidade em toda a gente;especialmente nos donos em ti,Ana.Guardemos os bons momentos com ela.Bj

Sara CS disse...

Fico triste... .
Beijinhos.

Teresa disse...

Ana,
Qualquer coisa que eu pudesse dizer seria pobre.
Cheguei aqui pela mão do David, o do segundo comentário, e logo hoje.

A minha adorada Messalina (a carinha tonta que aparece na minha imagem) caiu há nove anos de um sexto andar. Está neste momento ao meu colo, o que não facilita a escrita. Em voo atrás de um pombo, pois claro (cats will be cats). Ficou muito magoada, mas miraculosamente não partiu nada nem teve lesões internas. Ficou praticamente sem dentes, basta imaginar o impacto da queda, por mais artistas que eles sejam a aterrar.

Sobre o quanto me encantaram os seus desenhos falo noutro dia, suspeito que a sua escrita foi muito contida e que a linda Chimfrim (não há gatos feios!) está a ser dolorosamente chorada. Por isso deixo-lhe só aqui um texto. Que faz chorar, claro está. Mas que consola. Chama-se The Rainbow Bridge.

http://pages.google.com/edit/teresa.leandro/therainbowbridge?authtoken=b2155bfab909f968df895d2a59507fbfd2d4ddb3

Grande beijo.

Ana Oliveira disse...

Sim Teresa, dolorosamente chorada..

Obrigada pelo poema
e beijinhos

Cecilia Levy disse...

I love that flying black and white cat - reminds me of our Kalle (r.i.p)...

Débora disse...

Morreu no dia do meu aniversário... :( Não cresci com animais, mas consigo imaginar a dor que é perder um animal que viveu connosco tanto tempo... Força.

Beijinhos*

lili disse...

Lamento muito a sua perda.
Também tenho uma gatinha preta e branca que recolhemos da rua, e é a minha paixão.