17 janeiro, 2007

Factos da vida

É exactamente quando estamos prestes a sair que nos lembramos daqueles pormenores género "já agora, onde é que andará a chave de casa..?" It's precisely when we are about to leave that we recall that little something like "by the way, where are my keys..?"
Como muito boa gente, eu começo sempre por aqueles locais óbvios.. Like everybody, i always look first on the obvious spots...

Convém pensar quando foi a última vez que vi a chave e o que é que levava nessa altura. Para evitar estar a virar tudo do avesso, é bom saber distinguir pelo som a nota certa do tilintar das chaves de entre as muitas porcariazinhas metálicas que enchem, por exemplo, uma mala... You might want to think about when was the last time you saw the keys and what did you had with you. To avoid making a mess taking everything out of everything, its precious to know the precise music that our keys make, among the many little things we might have in, lets say, a purse...Quando nada resulta acabo por voltar ao ponto de partida... When everything fails, i usually get back to where i started from...
Até que, milagrosamente, depois de muito bolso revirado elas lá aprecem!! Until, finally, after checking every pocket, they appear!

16 comentários:

Cat disse...

Muito engraçado e muito janota que está a menina!
É por essas e por outras que deixei de usar chaves de casa, mas claro que quando não é a chave é outra coisa qualquer!
Muito feminino este "factos da vida", lá fora no carro está o menino a buzinar de impaciência...

Ana Oliveira disse...

Ahahaha, obrigada Cat!

Este post tem uma piada escondida: é que quem me conhece sabe que nunca me visto assim (...é que nem tenho guarda roupa para tanto!) mas quando quis falar sobre chaves de casa achei que era banal fazer-me de calças de ganga, camisola e botas... deu-me muito mais gozo o vestido de veludo.. o meu vicio por luvas sim, é verídico, e quanto maiores melhor!

Enfim, é assim uma espécie de homenagem à Jessica Rabbit, que admiro desde pequenina!

Ana Oliveira disse...

...a outra piada é que normalmente os vestidos de veludo vermelhos não têm bolsos (ehehe)...

Constança disse...

Ou então, não aparecem mesmo! :D

Ando sempre nessas figuras, sempre!

Está optimo, Ana! :)*

Ana Margarida disse...

foi a primeira coisa em que reparei e me fez sorrir. levantamo-nos de manhã, e zás! um longo vestido comprido, vermelho, as luvas... Com ou sem chaves, um dia de sonho. Lindo!

Avozinha disse...

Pobre Félix!

Vodka e Valium 10 disse...

Coitadinho do gatinho...

Sofia disse...

Gostei muito, principalmente da expressão do gatinho de rabo eriçado !!
Abraços,

Flávia Leitão disse...

Genial!!!!
Eu nunca perco as chaves, mas a perder, só mesmo de vestido vermelho!!!!
O gato é um elemento chave nesta história! Porque ele ajudou a procurar as chaves!!

Ana Oliveira disse...

Ena, mas que grande onda de solidariedade pelo meu gato! O Félix agradece e eu aproveito para dizer que nenhum animal foi magoado durante a realização deste post...

Obrigada a todos!

Zé Alguém disse...

Conheço uma Cell que se identifica com o problema em causa...
Uma amiga minha arranjou uma boa solução: uma mala transparente. Apesar de ter o problema de se ver TUDO o que lá está.

Ana Oliveira disse...

Pois Zé Alguém, essa da mala transparente já me tinha ocorrido, mas não me agrada que se veja tudo.. e para mais não vai vem com a toillete...!

florbola disse...

LOL!! Coitadinho do gatinho... que estava tão bem a descansar... heheeheheh..
Já eu tenho o cuidado de colocar sempre as chaves no mesmo sítio quando entro em casa. Senão já se sabe! Coisinha irritante!!!
Adorei o vestido! Imaginei logo que fosses sair para a ópera. : ))))))))
Beijinho ; )

s. disse...

está muito engraçado :)

zarah disse...

como te entendo! wonderfuly ilustrated, as usual :)
também adorei o facto do vestido ter bolsos!
*

sara_csoares disse...

Uau! que vestido!!!