22 maio, 2011

Queria ser mais verde

Eu gostava de ser mais verde.
Não no sentido de mudar de cor, como podem imaginar, mas de tentar não produzir tanto lixo e fazer escolhas mais ecológicas. Vou fazendo os possíveis reciclando tudo o que posso em casa (ainda que às vezes tenha imensas duvidas - afinal as embalagens de iogurte são recicláveis ou não?) e tentando não comprar coisas supérfluas e com múltiplas embalagens. E também por fazer algumas escolhas vegetarianas na cozinha.

Comprei há uns meses um livro chamado Seja ecológico, escolha biológico, da editora Civilização e que dá pelo nome original de A Slice of The Good Life.
Ok, claro que fui levada pelo titulo, pelo facto de ser um livro DK - Dorling Kindersley, que tem livros que eu adoro, e pela minha costela naturo-hipoconcríaca que adora tudo o que seja natural ao mesmo tempo que reclama de todos os insectozinhos e bichezas de cada vez que me encontro no campo...
Há imensos livros no mercado que falam deste tema, do vegetarianismo, da ecologia e de como levar uma vida menos pesada para o planeta. Este não será concerteza o mais completo, abrangente ou mesmo o melhor, mas é um dos que se cruzou no meu caminho e gostei porque é um bonito livro com bonitas fotos e ensina a fazer coisas desde como plantar legumes em vasos até criar galinhas (!) que foi uma coisa que apelou logo à minha costela de miúda-urbana-para-sempre-saudosista-de-nunca-ter-tido-uma-casa-de-campo-nem-mesmo-a-dos-avós-...-enfim.

Então, imbuída deste espirito de couves e galinhas passei a frequentar (ainda) mais a loja Brio, uma loja de produtos biológicos que conheço do bairro de Campo de Ourique em Lisboa e que até já abriu uma sucursal em Carnaxide!

Mas eis que se me colocou outra questão... reparo que muitos dos produtos biológicos que por aqui andam neste tipo de lojas (os champôs, cremes, iogurtes, massas e enlatados...etc) são de origem alemã. Reconheci-os logo porque muitos já conhecia de outras paragens, por ter vivido na Alemanha uns poucos de meses durante o meu Erasmus.

Então colocou-se-me uma outra questão... quão ecológico é afinal comprar produtos deste tipo quando os mesmos têm de viajar de avião, barco ou camião para chegarem até nós? Qual é o peso desta pegada? Não haverá produtos portugueses que nos cheguem?

Dá que pensar.

1 comentário:

medis disse...

por acaso acho que isso tem a ver com imperialismo económico alemão de sec. XXI ..