28 janeiro, 2010

Um outro tipo de estrumpfe

Esta semana fui ver o Avatar.
Gostei, não vou negar, mas confesso que me irritam os filmes 3D e esta história de pagar €2 por uns óculos emprestados (sim, porque eu devolvi os meus no fim, havia umas caixinhas para o efeito). Outra coisa que chateia nestes filmes mega publicitados género inda-ninguém-viu-mas-já-é-um-mega-sucesso-nem-que-seja-pelos-efeitos-especiais é que os efeitos, por mais estrondosos que sejam, não podem esconder um argumento pobrezinho, e este tresandava a Pocahontas... e meus caros, essa coisa do bom selvagem já está um pouco vista e é um mito.

Mas esmiucemos a coisa (a ver se alguém me explica):

1. Como raio é que estas criaturas, que andam nuas, apenas tapadas por trapinhos, que saltam pulam e correm e nós nunca mas NUNCA lhes conseguimos ver o sexo? Será aquela coisa americano-púdica que não faz mal se virmos miolos a estoirar, olhos a saírem das órbitas, mas sexo não pelamordeDeus! Ou será que num mundo onde os humanóides têm 4 membros e os cavalos 6 (uma lógica que inda não consegui destrinçar...) haverá a possibilidade dos humanos não terem um, mas sim multiplos pénis/vaginas?? Ou será que não têm lá nada... são tipo Ken e Barbie, lisos. Cruz credo.

2. Como é que estes "selvagens", que nos parecem tão tradicionais (o arco, a flecha, as trancinhas, as continhas...) foram evoluir para uma forma que permite a cada um ter uma porta USB privada? E o que eles não fariam com um computador... Esperem, não me digam que é por aqui que eles têm sexo?!

3. Quatro dedos minha gente?! O que é isto, o Rato Mickey??

4. Não há Na'vis gordos? Porquê?

5. Azul, azul, da cor do céu... mas porque é que parecem ter todos a mesma tonalidade? Gostava de ver uns mesmo azulões. E porque não albinos? E porque é que têm todos os olhos da mesma cor, mesmo os dos outros cantos daquele planeta?

6. Pareceu-me ver penas nas decorações do pescoço da Neytiri... curioso, porque não me lembro de ver aves, só aquela espécie de dragõezinhos.

Quanto à personagem do Jake Sully, achei-o o típico soldado semi burro, semi bruto (se bem que adoro aquele gesto dele a dar uma tapa naquelas alforrecas luminosas!) que se derrete todo pela menina bonita... mas mesmo bruto gostei do pedacinho em que ele está (na forma humana) com a menina... têm piada os casais em que as mulheres são grandes! Viva as matulonas!

E é isto, tenho dito.
Vão ver o filme que é giro, que depois quando ele passar no Natal na TV, não vai dar pra ver com óculos. E cliquem na menina que ela amplia.

9 comentários:

guiga disse...

Ainda não vi!!! grrrrrr
*.*

Ana disse...

Plenamente de acordo!!! :)

Rachelet disse...

Isso dos casais com a gaja maior que o gajo tem piada, sim, embora não seja muito agradável estar sempre a levar com os olhares dos outros (isto quando não ouvimos piadas do tipo «dá para levá-lo debaixo do braço»).

Tem de haver muito amor para relevar isto. E eu só tinha mais 3cm... :P

Ana Oliveira disse...

Rachelet, os comentários dos outros são pura inveja :)
Tem muitas vantagens andar com uma amazona!

amis disse...

4 dedos? Nessa não reparei!!! :)
Como sempre, Ilustrana, as tuas ilustrações são de génio e conseguiste apanhar a Neytiri por completo neste teu desenho magnífico. Parabéns.

Cláudia P disse...

Muito bom!! timing perfeito para o humor :)

Fuzhong! disse...

Muito perspicaz!
Sem entrar em considerações sobre a ecologia/biologia, que até nem é assim tão alienígena, criada para este filme, só posso dizer que partilho da mesma opinião.

É um filme de entretenimento para desligar o cérebro durante umas horas. Só!

Michelle disse...

Olá!

Ana, não assisti avatar, mas existe no Brasil um quadrinhista chamado Edgar Franco que aborda em seus quadrinhos (banda desenhada) esse tipo de selvagem evoluído.

O nome da história é biocyberdrama, é uma ótima história, baseada até mesmo em pesquisas cientificas.

Pedrão disse...

...a parte que você critica a ausência do falo e da genitália feminina... plenamente de acordo. Cliquei no desenho, hahaha, criativo