03 outubro, 2009

Lobos: história duma necessidade

Preciso de desenhar.
Ou antes, preciso de vender desenhos.
Esta necessidade não seria nada de extraordinário se não fosse o desenho uma das minhas principais (e débeis, devo dizê-lo) formas de subsistência, sobretudo agora que estou sem emprego e também sem nenhum trabalho à vista (sim porque às vezes mesmo não tendo emprego acabo por ter aqui e ali um biscate que já dá para alguma coisa... mas não ultimamente).
Quando se precisa assim desesperadamente de ter produção a sair acontece com alguma frequência ter aquilo que em gíria artística se chama "uma branca".
Foi assim que me encontrei no atelier, em plena branca de inspiração, frente a uma folha (também ela branca, só para chatear) e sem vontade nenhuma de fazer mais uma das minhas receitas-que-vendem-sempre, com as princesas da ervilha...

...e foi aí que me lembrei "Vou desenhar lobos, mas vou fazer disso uma aula de técnica!!"
Normalmente ando tão embrenhada na ilustração e em fazer coisas concretas que muitas vezes me esqueço que devia desenhar sem propósito em especial, só para não destreinar a mão.
Eu precisava de um modelo e escolhi os lobos... é óbvio que eles não apareceram aqui por mero acaso e claro que vou querer usá-los em desenhos futuros, de preferência com meninas de vermelho à mistura, mas foi refrescante poder encher uma folha de testes sem ter a pressão de ser uma "arte final" e apenas procurar linguagens novas. Peguei num livro que tenho só sobre lobos e meti mãos à obra!
O desenho acima foi a minha primeira tentativa. Foi feito a lápis de carvão numa folha de aguarela, mas não me satisfez. Este bicho sugeria-me algo rude, espesso e escuro... queria trabalhar a forma do lobo como uma mancha negra de onde saíssem dois olhinhos amarelos. Como não tinha esse material comigo fui para casa.
No dia seguinte, munida de lápis de cera aguareláveis e mais uma série de imagens de lobos tentei compreender a forma da cabeça do animal. Eu nunca fui muito boa com canídeos, e como nunca tive um cão não tenho sequer a memória nas minhas mãos. O que é uma pena.
(Isto é o meu lado de escultora a falar: Sou de opinião que se conhecermos uma coisa muito bem pelo tacto conseguimos representa-la melhor no desenho... desta feita, e porque tive gatos durante 17 anos, sou capaz de os desenhar quase de olhos fechados. Já os cães é uma desgraça, se me descuido um bocadinho sai logo um trambolho, meio gato, meio cão e sem ponta por onde se lhe peque!)
À medida que fui insistindo as coisas foram saindo melhor, mas como escolhi desenhar lobos de pelagem clara (por ser mais fácil de perceber os volumes) eles acabaram sempre por se parecerem com os seus familiares Huskies e Pastores Alemães, o que lhes tira alguma da ferocidade...
Acima está o meu primeiro teste de um lobo de corpo inteiro! Gosto muito do efeito que o lápis de cera aguarelável dá e pretendo explorar melhor isso. O solo que o lobo pisa é suposto ser neve, mas o ambiente natural é outra coisa na qual eu tenho de trabalhar (e muito).
Este foi o meu ultimo desenho. Fiquei feliz com a evolução e espero desenhar mais e melhores lobos ainda esta semana!

Material utilizado:
- lápis de cera aguareláveis Cara d'Ache (cores: Antracite, Sépia e Azul Indigo)
- Tinta da China amarela Pelikan para o amarelo dos olhos

16 comentários:

Cão Reles disse...

Uma brilhante evolução devo disser. Acho que irás com certeza apanhar-lhes o jeito sem problema algum, aliás...já apanhas-te o jeito agora e só desenvolver.

Beijocas

susana disse...

Ao ler o teu post começou a pesar-me a consciência por desenhar tão pouco, e assim falta-me o tal "treino da mão". Mas gostei muito dos teus lobos!:)e concordo com o tacto e o desenho, a única coisa que desenho bem de memória são,curiosamente, os gatos por os conhecer tão bem! Espero ver a evolução destes lobos!Bom trabalho!

António Almeida disse...

gostei muito deste espaço...
vou "roubar" um cartoon, mas indicarei o autor.

voltarei!

Érica disse...

olá Ana, gosto muito de teus desenhos, visito tua pagina, vc tem um talento bonito, mas mesmo nas diversidades, vc vai se encontrando, meios de sobreviver, de fazer teu talento te dar retorno, continue lutando, eu faço o mesmo...um abraço

ArtByJoão disse...

Olá Ana!

Eu sou particularmente fã de lobos. Dada a escassez de imagens que por aí andam, fiquei intrigado com o livro de que falas. Pode-se saber o seu título?

E como remate gostaria de dizer que desenhar lobos, por foto ou no seu estado natural, é muito dificil (eu que o diga). Contudo o caminho que traçáste só pode vir a trazer bons resultados. Continua!

Ana Oliveira disse...

Olá João!
Quando quis encontrar imagens de lobos andei a correr as livrarias, mas como os livros melhores eram muito caros acabei por comprar um na Bertrand, na secção das crianças chamado "WOLVES - A Portrait of The Animal World" que teve a vantagem de me custar menos de €7!
As fotos são bastante razoáveis e todas a cores. O autor dá pelo nome pomposo de Leonard Lee Rue III e a editora é a New Line Books

Na FNAC havia um livro que me parecia bom, chamado "Wolves of the World" mas não havia na loja naquela altura e eu nunca cheguei a encomendar.

3du Mesa disse...

Se você me permite uma crítica, acho que os seu lobos são leves demais.

Lobos são robustos, tem pernas longas,patas grandes, largas, boas para a neve e para a lama.
Tem pescoço forte e troncudo, peito largo, rabo grosso.

Aqui uma ref:

http://www.geocities.com/lee_steve_uk/pwwolf.jpg

outra referência:

http://img2.photographersdirect.com/img/19309/wm/pd2253797.jpg

Abs
Eduardo Di Lascio

Ana Oliveira disse...

Obrigada 3du, os meus lobos estavam só no início... a minha ideia era fazer mais e cada vez mais "mancha", mais robustos e rudes. Para já este projecto está de molho.

ArtByJoão disse...

Obrigado pela indicação livreira...

Como agradecimento deixo aqui 2 sugestões pessoais da minha própria "biblioteca":

"LOBOS EM PORTUGAL", Editora Má Criação, 2006

"EL LOBO", Parragon Boks, 2006

O primeiro, ilustrado muito livremente, é um relato giro e (mais importante ainda) em português sobre lobos portugueses.

O segundo custou-me baratíssimo em Barcelona e é um óptimo investimento porque em todas as suas 255 páginas vemos imagens fotográficas muito belas de lobos.

Fuzhong! disse...

Olá Ana,

Como adepto do desenho à vista, por que não uns esboços e desenhos de lobos no Zoo de Lisboa, na Tapada de Mafra ou no Grupo Lobo?

Ana Oliveira disse...

Olá Fuzhong!

Também me lembrei de ir ver lobos ao vivo, mas a minha experiência com os do Zoo é que eles estão tão à larga que é dificil ve-los entre a folhagem... gostava de ter o bicho assim pertinho... e sei que com um lobo tá dificil. Mas vou anotar esses sitios! Já estou pra ir à tapada de mafra há séculos!

Olha, e adivinha quem está a ter aulas com o Mestre no iaiaó? :)

Ah pois é, também quero ir à Amazónia!! ;)

Fuzhong! disse...

Estás tu no iaió e eu no ISEC :)

Antes da Amazónia deve haver ainda bastantes saídas de campo, umas com lobos, outras sem.

E uma adenda, há várias subespécies de lobos; a ibérica (Canis lupus signatus) é relativamente delicada se comparada com as variedades mais setentrionais. Por isso, keep up the good work!

mulheres_estejam_caladas disse...

olá. não me conheces, temos alguns amigos em comum. Mas ao ler o teu post, lembrei-me do programa "querido mudei a casa" eles às vezes fazem pinturas de quartos de crianças e outros murais, os teus desenhos são tão giros, quem sabe seria uma parceria interessante se lhes mandasses alguns dos teus trabalhos. desculpa a intromissão, foi só uma ideia. bjs.

Ana Oliveira disse...

Ora essa, muito obrigada pela sugestão! Não me parece nada má ideia... inda por cima é um programa que gosta de usar coisas nacionais, se bem entendi.

(e sim, é verdade, parece que conheces o meu pai)

Anónimo disse...

ola Ana gostei muito dos seus desenhos tenho imensas fotografias de lobos que tirei na Polonia se quiser posso mandar mandar lhe algumas, bj Cristina Espirito Santo

Goiaoia disse...

Recordo-me de uma série (impagável) de impacientes capuchinhos vermelhos acompanhadas por um cauteloso Lobo Negro. Deve ter sido para aí à já uns dois anos... tenho fresca a imagem de um capuchinho vermelho de trombas a vasculhar a cesta à procura das chaves, com o lobo recatadamente sentado a seus pés. É tua esta imagem, não é?

(à já muito tempo que) Adorava comprar-te as séries completas da "Princesa e o Sapo" e os "Capuchinhos Vermelhos".
São só sumo!

"Pay For What is Worth!"