06 agosto, 2006

Nazaré

Nunca desenho tanto quanto gostaria.
Aproveito uma pausa nas minhas micro férias para aqui pôr alguns desenhos que fiz na Nazaré, de algumas plantinhas que apanhei perto de casa. Fiz um workshop de ilustração ciêntifica há uns meses e desde aí que me ficou o bichinho de desenhar plantas..
O primeiro foi um raminho de alecrim.
O alecrim foi um pouco complicado com aquelas folhinhas todas, por isso procurei qualquer coisa diferente e peguei nesta cabecinha de flores. Não faço ideia de que planta seja e nem sequer escolhi um pedacinho muito representativo. Estava quase tudo seco.
Esta espécie de espiga despenteada é muito áspera nos dedos e é daquelas que dá para destacar em partes que depois dão para atirar às camisolas das pessoas. Ao vivo era mais bonita.
Por último desenhei esta Arruda (o nome foi-me dito por uma amiga), acho que foi o desenho que funcionou melhor. Esta plantinha é curiosa porque manda um pivete fantástico quando é pisada ou arrancado algum bocadinho. É tida como espanta-bruxas, mas acho que funciona lindamente com melgas também! Fiquei com vontade de ter uma em casa...

2 comentários:

Sara disse...

Fizeste-me lembrar dos manuais de biologia e o estudo dos ciclos das plantas.

velhadaldeia disse...

A tua plantinha anónima poderia ser funcho, se tivesse florinhas amarelas. Mas estando seca e já com frutos... não sei.
Beijinhos!
Sara